OS CONFLITOS NA RESEX DA PRAINHA DO CANTO VERDE/CE E SUA RELAÇÃO COM O PARQUE EÓLICO PRAIAS DE PARAJURU

Autores

  • Paulo Torres Junior Universidade Federal do Ceará
  • Maione Rocha de Castro Cardoso Universidade Estadual do Ceará
  • Gil Célio de Castro Cardoso Universidade Federal do Ceará

DOI:

https://doi.org/10.33148/CES25954091V35n2(2020)1885

Palavras-chave:

Políticas Públicas, Conflito socioambiental, Comunidades Tradicionais

Resumo

A atuação do Estado brasileiro na busca por um desenvolvimento econômico atrelado ao mercado globalizado vem gerando transformações no espaço ambiental e cultural dos territórios ocupados por comunidades tradicionais. Isso ocorre através da implementação de políticas públicas que incentivam o deslocamento de grandes conglomerados industriais da zona urbana para áreas de uso tradicional, remodelando a dinâmica das populações afetadas. Este artigo tem como objetivo discutir como a intervenção do Estado, através de efetivação de políticas públicas desenvolvimentistas, em territórios ocupados por populações tradicionais, pode gerar conflitos entre os propósitos da política e os interesses dessas comunidades. Para tanto, utilizou-se como estudo de caso a Resex da Prainha do Canto Verde/CE, devido à existência de parque eólico próximo ao seu território. Metodologicamente, as informações são provenientes de pesquisa bibliográfica, documental e através de dados coletados por meio de entrevistas, tendo sido utilizado a análise de conteúdo para tratamento desse material. Seu propósito, portanto, conduz a uma reflexão acerca da participação do Estado brasileiro no processo de geração de conflitos nas comunidades tradicionais, motivados por aspectos econômicos e que alteram o significado dos valores e do patrimônio coletivo das comunidades tradicionais.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paulo Torres Junior, Universidade Federal do Ceará

Mestrando em Avaliação de Politicas Públicas da Universidade Federal do Ceará (PPGAPP/UFC). Especialista em Direito Público pela Universidade Gama Filho/RJ. Bacharel em Direito pela Universidade Federal do Ceará (UFC). Graduando em Administração de Empresas na Universidade Estadual do Ceará (CESA/UECE).

Maione Rocha de Castro Cardoso, Universidade Estadual do Ceará

Doutora, lotada na Faculdade de Administração - Centro de Estudos Sociais Aplicados(CESA), UECE - setor de Economia e Gestão SocioAmbiental

Gil Célio de Castro Cardoso, Universidade Federal do Ceará

Doutor, lotado no Programa de Pós Graduação em Avaliação de Políticas Públicas, UFCE - setor de Economia e Politicas Publicas.

Referências

ABEEOLICA. Infovento. Disponível em:< http://abeeolica.org.br/wp-content/uploads/2018/07/Infoventopt.pdf> Acesso em 06. Novembro. 2019.

ACSELRAD, H. (org.) Conflitos Ambientais no Brasil. Relume Dumará, RJ, 2004.

ARAUJO, T. B de. Ensaios sobre o desenvolvimento brasileiro: heranças e urgências. Rio de Janeiro: Revan: Fase, 2000.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70; 1977

BURSZTIN, M; FONSECA, I.F. A banalização da sustentabilidade: reflexões sobre governança ambiental em escala local. Sociedade e Estado, Brasília, v. 24, n. 1, p. 17-46, jan./abr. 2009.

CARNEIRO, E. J. Politica ambiental e a ideologia do desenvolvimento sustentável. in Andréa Zhouri, Klemens Laschefski e Doralice Pereira (orgs.), A insustentável leveza da política ambiental: desenvolvimento e conflitos socioambientais, Belo Horizonte, Autêntica:2005.

CARVALHO, A. M. P de. O Brasil real em questão: um resgaste do olhar crítico de cientistas sociais. Tese (Doutorado). Programa de pós-Graduação em Sociologia da Universidade Federal do Ceará. Fortaleza: 1999.

CARVALHO, A. M. P. de; MILANEZ, B.; GUERRA, E. C. Tramas para a justiça ambiental: diálogo de saberes e práxis emancipatórias / organização de Raquel Maria Rigotto, Ada Cristina Pontes Aguiar, Lívia Alves Dias Ribeiro. – Fortaleza: Edições UFC, 2018.

CARVALHO, A. M. P. de; GUERRA, E. C. O Brasil no século XXI nos circuitos da crise do capital: o modelo brasileiro de ajuste no foco da critica. Revista de Políticas, v. 19, n.1, jan./jun. 2015, p. 41-60.

CHAUI, M. Introdução à história da filosofia: dos pré-socráticos a Aristóteles. São Paulo: Brasiliense, 1994.

CHIZZOTTI, A. Pesquisa em ciências humanas e sociais. 6. Ed. São Paulo: Cortez, 2003.

COSTA, N. O. C. Cartografia Social: Instrumentos de luta e resistência no enfrentamento dos problemas socioambientais na Reserva Extrativista Marinha e Continental da Prainha do Canto Verde, Beberibe . Dissertação (mestrado) – Universidade Federal do Ceará, Centro de Ciências, Programa de Pós-Graduação em Geografia, Fortaleza, 2016.

FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ. Breves considerações conceituais e metodológicos sobre o Mapa de Conflitos Envolvendo Injustiça Ambiental e Saúde no Brasil. Rio de Janeiro. Disponível em:< http://mapadeconflitos.ensp.fiocruz.br/?populacao=pescadores-artesanais&uf=se&post_types=conflito. >. Acesso em 02. Novembro. 2019.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. Ed. São Paulo, 2010.

GONÇALVES, R. Desenvolvimento às avessas: verdade, má-fé, ilusão no atual modelo brasileiro de desenvolvimento. Rio de Janeiro: LTC, 2013.

LAKATOS, E. M. Ciências sociais e sociologia. 3. Ed. São Paulo: Editora Atlas S.A, 1979.

LEFÈBVRE, H. Lógica Formal, Lógica Dialética. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1983.

LEFF, E. Saber ambiental: sustentabilidade, racionalidade, complexidade, poder. Petrópolis: Vozes, 2001.

LOPES, V. F. M, SMARRA, A. L. S, LOTUFO, C. A. Anais do I Congresso Brasileiro de Geografia Política, Geopolítica e Gestão do Território, 2014. Rio de Janeiro. Porto Alegre: Editora Letra1; Rio de Janeiro: REBRAGEO, 2014, p. 494-506.

LOURENÇO, J. Ceará abre parque eólico em Beberibe. Disponível em: http://eco4planet.com/blog/ceara-abre-parque-eolico-em-beberibe/. Acesso em 10/10/19.

MARTINEZ-ALIER, J. Justiça Ambiental (local e global), Ii: CAVALCANTI, C. (Org). Meio ambiente, desenvolvimento sustentável e políticas públicas. Cortez: São Paulo, 1999.

MEIRELES, A. J. A. Danos socioambientais originados pelas usinas eólicas nos campos de dunas do Nordeste brasileiro e critérios para definição de alternativas locacionais. Confins [Online], v . 11, 2011. Posto online em 03 Setembro 2011. Acesso em: 26 Abril 2013. URL: http://confins.revues.org/6970; DOI: 10.4000/confins.6970

MORENO, M. Descolonizar o imaginário: debates sobre pós-extrativismo e alternativas ao desenvolvimento / Gerhard Dilger, Miriam Lang, Jorge Pereira Filho (Orgs.); traduzido por Igor Ojeda. - São Paulo : Fundação Rosa Luxemburgo, 2016.

OLIVEIRA, M. M. de. Como fazer pesquisa qualitativa. 3ª ed. Rev. Amp. Petropolis, RJ: Vozes, 2010.

SACHS, J. The age of sustainable development. New York: Columbia University Press, 2015. p. 3.

SACHS, W. Dicionário do desenvolvimento. Guia para conhecimento como poder. Petropólis: Vozes, 2000.

SANTOS, M. et al. O Papel Ativo da Geografia: um manifesto. XII Encontro Nacional de Geógrafos. Florianópolis, 2000.

SECHI, L. Políticas publicas: conceitos, esquemas de analises, caso práticos. São Paulo: Cengage Learning, 2010.

SILVA, T. A. A. O. O mapa de injustiça ambiental e saúde no Brasil e as comunidades rurais de Pernambuco. In: ALMEIDA, J.; GERHARDT, C.; 1216 Saúde Soc. São Paulo, v.24, n.4, p.1208-1216, 2015.

ZHOURI, A.; LASCHEFSKI, K. & PEREIRA, D. “Introdução: desenvolvimento, sustentabilidade e conflitos socioambientais”, in Andréa Zhouri, Klemens Laschefski e Doralice Pereira (orgs.), A insustentável leveza da política ambiental: desenvolvimento e conflitos socioambientais, Belo Horizonte, Autêntica:2005.

WCED (World Comissiono n Environment and Development). Our common future. New York: Osford University Press, 1987.

Downloads

Publicado

2020-12-30

Como Citar

Torres Junior, P., Cardoso, M. R. de C., & Cardoso, G. C. de C. (2020). OS CONFLITOS NA RESEX DA PRAINHA DO CANTO VERDE/CE E SUA RELAÇÃO COM O PARQUE EÓLICO PRAIAS DE PARAJURU. Cadernos De Estudos Sociais, 35(2). https://doi.org/10.33148/CES25954091V35n2(2020)1885

Edição

Seção

Dossiê SAPIS/ELAPIS - Áreas Protegidas e Inclusão Social