POLÍTICA DE MOBILIDADE DO RECIFE: ATORES SOCIAIS, ESPAÇOS E ESTRATÉGIAS DE EXERCÍCIO DE PODER

Rafael dos Santos Fernandes Sales, Jackeline Amantino de Andrade

Resumo


Este trabalho buscou investigar o processo de definição da Política de Mobilidade Urbana da Região Metropolitana do Recife, através da análise da interação entre Estado e demais atores sociais. Tratou-se de uma pesquisa eminentemente qualitativa, delineada em um estudo de caso único. Contou com o levantamento de dados documentais e notícias da imprensa, além de dados provenientes da observação realizada de maneira direta. Os dados foram analisados à luz do ferramental teórico-metodológico do Neoinstitucionalismo Sociológico, combinado com a Teoria da Estruturação, de Anthony Giddens. Como resultados empíricos, foram identificados os principais atores que participam de alguma maneira da negociação da política local, bem como seus papéis específicos na disputa cotidiana. Em seguida, foram mapeados os espaços de negociação em que os indivíduos atuam e a função que cada espaço desempenha na definição da política de Mobilidade Urbana. Por último, são identificadas algumas das principais estratégias (formais e informais) de exercício do poder relativas à Política de Mobilidade Urbana na Região Metropolitana do Recife. O estudo explicitou características peculiares do processo político em torno da Política de Mobilidade Urbana da região Metropolitana do Recife, mas que são úteis para entender o processo de interação entre o Estado e demais atores sociais em torno de outras políticas públicas, evidenciando a configuração desigual na distribuição do poder entre os atores (devido aos recursos alocativos e/ou de autoridade que estão à sua disposição), bem como as estratégias desenvolvidas por eles no decorrer do processo democrático.


Palavras-chave


Políticas Públicas; Mobilidade Urbana; Desenvolvimento Urbano; Sociologia Política

Texto completo:

PDF PARA IMPRESSÃO

Referências


ALBATROZ. Mobilidade Urbana Sustentável: O impacto das empresas e dos seus trabalhadores. BCSD - Conselho Empresarial para o Desenvolvimento Sustentável. [S.l.]. 2005.

ALVAREZ, L.; SILVA, L.; SOTO, M. Spatial Dimension of University Students Daily Commuting: Greater Valparaiso Case Study. Revista INVI, Santiago, v. 24, n. 65, p. 19-77., 2009. ISSN http://www.scielo.cl/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S0718-83582009000100002&lng=en&nrm=iso>. access on 12 Sept. 2012. doi: 10.4067/S0718-83582009000100002.

ANTT. Desenvolvimento Urbano e Políticas de Transporte e Trânsito., s/d. Acessado em: 03/04/2012.

BOARETO, R. A política de mobilidade urbana e a construção de cidades sustentáveis. Revista dos Transportes Públicos - ANTP., v. 30/31, p. 143-160, 2008.

BRANDÃO, H. H. N. Introdução à análise do discurso. 2ª edição. ed. Campinas: Editora da Unicamp, 2004.

BRASIL. CONSTITUIÇÃO FEDERAL. REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL. Brasília: [s.n.], 1988.

DIÁRIO DE PERNAMBUCO. O universo urbano do papel. Diário de Pernambuco - Coluna Sinal Fechado, Recife, 10 jun. 2010. s/n.

DIMAGGIO, P.; POWELL, W. El nuevo institucionalismo en el análisis organizacional. FCE, México, 1999.

DIREITOS URBANOS. Suspensão da segunda reunião do CDU que tentava aprovar o Projeto Novo Recife ainda em 2012. Direitos Urbanos, 2012. Disponivel em: . Acesso em: 2012 dez. 29.

FERNANDES, A. S. A. Políticas Públicas: Definição, Evolução e o Caso Brasileiro. In: DANTAS, H.; JUNIOR, J. P. M.; (ORGS) Introdução à política brasileira. [S.l.]: Paulos, 2007.

GAZZOLI, P. O Neoinstitucionalismo abre espaço para o ator social: uma exigência da investigação empírica. ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS- …, n. 1991, 2005.

GIDDENS, A. A constituição da sociedade. 2ª. ed. São PAULO: Martins Fontes, 2003.

GODOI, C. K. ANÁLISE DO DISCURSO NA PERSPECTIVA DA INTERPRETAÇÃO SOCIAL DOS DISCURSOS: UMA POSSIBILIDADE ABERTA AOS ESTUDOS ORGANIZACIONAIS. Gestão.org - Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, Recife, v. 03, Nº2, 2005. ISSN http://www.ufpe.br/gestaoorg/index.php/gestao/article/viewFile/137/119.

GOMIDE, A. D. Á. Agenda governamental e processo de políticas públicas: o projeto de lei de diretrizes da Política Nacional de Mobilidade Urbana. Texto para Discussão, Brasília, n. IPEA, 2008. ISSN 1334.

GRANDE RECIFE CONSÓRCIO, s/d. Disponivel em: .

HALL, P. A.; TAYLOR, R. C. R. AS TRÊS VERSÕES DO NEOINSTITUCIONALISMO. Revista Lua Nova, v. 58, 2003.

LIPSKY, Michael. Street-level bureaucracy: dilemmas of the individual in public service. New York: Russell Sage Foundation, 1980.

LOBATO, L. Algumas considerações sobre a representação de interesses no processo de formulação de políticas públicas. In: SARAVIA, E.; FERRAREZI, E.; (ORG.) Políticas públicas - Coletânea. Brasília: Escola Nacional de Administração Pública, v. 1, 2006. p. 289-313.

LOTTA, G. S. Implementação de Políticas Públicas: o impacto dos fatores relacionais e organizacionais sobre a atuação dos burocratas de nível de rua no Programa Saúde da Família. São Paulo: Departamento de Ciência Política da Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas, da Universidade de São Paulo (Tese de doutorado), 2010.

MARCH, J. G.; OLSEN, J. P. Neoinstitucionalismo: fatores organizacionais na vida política. Revista de Sociologia e Política, Curitiba, v. 16, p. 121-142, 2008. ISSN 31.

NASCIMENTO, E. O. D. Os novos institucionalismos na ciência política contemporânea e o problema da integração teórica. Revista Brasileira de Ciência Política, 1, 2009. 95-121.

OLIVEIRA, J. A. P. D. Desafios do planbejamento em políticas públicas: diferentes visões e práticas. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 40(1), p. 273-288, 2006.

SALES, R. DOS S. F. POLÍTICAS PÚBLICAS E SUA IMPLEMENTAÇÃO : Um estudo de caso da Política de Mobilidade Urbana da Região Metropolitana Do Recife. 2013.

SOARES, R. Em Recife, ciclovia ganha adeptos na Zona Norte. Mobilize - Mobilidade Urbana Sustentável, 07 set. 2012. Disponivel em: . Acesso em: 07 set. 2012.

SOARES, R. O Transporte do Futuro. Ônus político - o futuro do corredor em número. Diário de Pernambuco - Repostagem Especial, Recife-PE, 21 nov. 2009. s/n.

SUBIRATS, J. Definición del problema. Relevancia pública y formación de la agenda de actuación de los poderes públicos. In: SARAVIA, E.; FERRAREZI, E.; (ORG.) Políticas Públicas - Coletânea. Brasília: Escola Nacional de Administração Pública, v. 1, 2006. p. 199-218.

WHITTINGTON, R. Giddens, struturaction theory and Strategy as Practice. In: GOLSORKHI, D., et al. Cambridge Handbook of Strategy as Practice. Nova York: Cambridge University Press, 2010. p. 109-125.




DOI: https://doi.org/10.33148/CES2595-4091v.34n.120191739

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Autor, concedendo à revista o direito de primeira publicação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN:2595-4091

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.