ENTRE AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E AS CULTURAS INFANTIS: CONTRIBUTO PARA A COMPREENSÃO DA PARTICIPAÇÃO DAS CRIANÇAS NUM JARDIM DE INFÂNCIA

Autores

Palavras-chave:

Crianças. Educação de Infância. Práticas pedagógicas. Culturas infantis. Participação Infantil.

Resumo

Pautado nos pressupostos teóricos da Sociologia da Infância (SI) e dos Estudos da Cidadania e Direitos das Crianças procura-se compreender de que modos se processa a participação das crianças na organização, gestão e dinamização do trabalho pedagógico a cargo da educadora num Jardim de Infância (JI) público localizado na área metropolitana do Porto, Portugal. Neste sentido, através de um estudo de caso de cariz etnográfico com um grupo de 22 crianças entre 3-5 anos e sua educadora analisam-se: i) as conceções de criança, educação e participação infantil em presença nas Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar (OCEPE 1997; 2016) e ii) as participações das crianças em rotinas colectivas sob orientação da educadora e a sua integração, ou não, nas práticas pedagógicas. A reflexão crítica das participações infantis, nos aspetos que as obstaculizaram ou nos indicativos que as tornaram influentes visa contribuir para a co-construção de quotidianos mais democráticos e, portanto, mais respeitadores dos direitos de participação das crianças.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Renata Veiga, Prefeitura Municipal de Florianópolis

Supervisora Escolar na Prefeitura Municipal de Florianópolis (SC).

Mestre em Ciências da Educação pela Universidade do Porto - Portugal

Referências

AGOSTINHO, Kátia. (2010). Formas de participação das crianças na Educação Infantil. Tese de Doutoramento, Instituto de Educação da Universidade do Minho, Braga, Portugal.

ALANEN, Leena (1994). Gender and generation: feminism and the “child question”. In QVORTRUP, Jens et al. Childhood Matters: Social theory, practice and politics (pp. 27-42). Aldershot: Avebury.

ALANEN, Leena (2009), Generational order, in Qvortrup, J., Corsaro, W., Honig, M-S. (edts), Handbook of Social Studies (pp: 159-174). London, Palgrave

ARIÈS, Philippe (1986). História Social da Criança e da Família. Rio de Janeiro: Editora Guanabara.

BERNSTEIN, Basil (1984). Classes e pedagogia: visível e invisível. Cadernos de Pesquisa, v. 49, 26-42. Disponível em: <http://publicacoes.fcc.org.br/ojs/index.php/cp/article/view/1424>. Acesso em: 25 mai. 2017.

BORDENAVE, Juan E. Diaz (1983). O que é participação. São Paulo: Editora Brasiliense

BROUGÈRE, Gilles (1998). A criança e a cultura lúdica. Revista da Faculdade de Educação, 24(2), 103-116. Disponível em: <https://dx.doi.org/10.1590/S0102-25551998000200007>. Acesso em: 31 mai. 2017.

CARDONA, Maria João (1997). Para a história da educação de infância em Portugal. O discurso oficial (1834-1990). Porto: Porto Ed.

CHRISTENSEN, Pia; JAMES, Allison (2005). Investigação com crianças: Perspectivas e práticas. Porto: Escola Superior de Educação de Paula Frassinetti.

CORSARO, William (2011). Sociologia da Infância. Porto Alegre: Artmed.

DICIONÁRIO ETIMOLÓGICO, Etimologia e Origem das Palavras. Disponível em: <https://www.dicionarioetimologico.com.br/conversar/>. Acesso em: 14 out. 2017.

DOMINGOS, Ana Maria et al. (1986). A teoria de Bernstein em sociologia da educação. Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian.

AUTOR A (1995). Salvar os Corpos, Forjar a Razão. Contributo para a Análise Crítica da Criança e da Infância como Construção Social. Dissertação de Mestrado, FPCE-UP, Porto, Portugal.

AUTOR B (2004). A gente gosta é de brincar com os outros meninos! Relações sociais entre crianças num jardim de infância, Porto: Edições Afrontamento.

AUTOR B1 (2004). Do “avesso” do brincar ou... as relações entre pares, as rotinas da cultura Infantil(is) instituinte das crianças no jardim-de-infância. In SARMENTO, Manuel Jacinto & CERISARA, Ana Beatriz (Orgs.), Crianças e Miúdos (pp. 55-104). Portugal: ASA.

AUTOR C (2015). El juego de los niños en la investigación académica en Educación, Portugal (2008-2014). XXXV Congreso Interamericano de Psicología. Simpósio El juego en la infancia: viejas cuestiones, nuevos desafíos. Interlocuciones entre Psicología y Sociología de la Infancia. Peru: PUCP-Lima (documento policopiado).

AUTOR D (2016). “Já podemos ir brincar?” – A construção social da criança como aluno no jardim de infância. In CORTESÃO, Irene; NEVES, Ivone; PEQUITO, Paula; SAMAGAIO, Florbela; TREVISAN, Gabriela, Travessias e Travessuras nos Estudos da Criança - Atas do III Simpósio Luso-Brasileiro em Estudos da Criança. Porto: Edições ESE Paula Frassinetti.

AUTOR D1 (2016). “Um por todos, todos por um!”: a recontextualização local da cultura mediática para a infância pelas crianças no jardim de infância. In ROCHA, Nara; COSTA, Marcelle; COSTA, Maria de Fátima & PINHEIRO, Pablo (Orgs.), “Na aldeia, na escola, no museu: alinhavos entre infância e trabalho docente" (pp. 22-54). Editora da Universidade Estadual do Ceará – EdUECEFortaleza – CE (ISBN: 978-85-7826-383-9). Disponível em: <http://www.ludice.ufc.br/dados/na_aldeia_na_escola_no_museu.pdf>. Acesso em: 20 mar. 2017.

FOLQUE, Maria Assunção; TOMÁS, Catarina; VILARINHO, Emília; SANTOS, Lúcia; HOMEM, Luísa; SARMENTO, Manuel (2015). Pensar a educação de Infância e os seus contextos. In SILVA, Manuela (Ed.), Pensar a educação: Temas sectoriais (pp. 9-46). Lisboa: Educa.

Ministério da Educação. (1997). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: DEB/ME.

Ministério da Educação. (2016). Orientações Curriculares para a Educação Pré-Escolar. Lisboa: DEB/ME. Disponível em: <http://www.dge.mec.pt/ocepe/.>. Acesso em: 20 jul. 2016.

PORDATA – Base de Dados Portugal Contemporâneo. Disponível em: < https://www.pordata.pt/Portugal>. Acesso em: Acesso em: 20 jan. 2017.

QVORTRUP, Jens et al (1994). Childhood Matters: social theory, practice and politics, Aldershot: Avebury.

______ (2010). A infância enquanto categoria estrutural. Educação e Pesquisa, vol. 36, nº. 02, maio/ago, 631-643.

______ (2011). Nove teses sobre a infância como um fenômeno social. Pro-posições, vol. 22, nº. 01 (64), jan./abr., 199-211.

AUTOR E (2010). As crianças na escola e a reconstituição do seu ofício como alunos/as – análise da produção académica nacional (1995-2005): Campos disciplinares, instituições e temáticas. Comparências, ausências e prelúdios. Investigar em Educação, Revista da Sociedade Portuguesa de Ciências da Educação, nº 6/7, 2007/2008, pp. 15-126.

SARMENTO, Manuel Jacinto (2005). Gerações e Alteridade: interrogações a partir da Sociologia da Infância. Educação & Sociedade, vol. 26, nº 91, p. 361-378, maio/agosto. Disponível em: <http://www.scielo.br/pdf/es/v26n91/a03v2691.pdf>. Acesso em: 12 mai. 2016.

TOMÁS, Catarina (2007). Participação não tem idade. Participação das crianças e cidadania da infância. Contexto e Educação, 78, 45-68.

______ (2011). Há muitos mundos no mundo. Cosmopolitismo, participação e direitos das crianças. Porto: Afrontamento.

UNICEF (1989). A Convenção sobre os Direitos da Criança. Disponível em: <https://www.unicef.pt/docs/pdf_publicações/convencao_direitos_criança2004.pdf.>. Acesso em: 6 maio 2016.

UNICEF (2016). Situação Mundial da Infância Retirado em Outubro 14, 2017 http://www.unicef.pt/Situacao-Mundial-da-Infancia-2016.pdf

VASCONCELOS, Teresa (2007). A Importância da Educação na Construção da Cidadania. Saber (e) Educar, 12, 109-117. Disponível em: <http://repositorio.esepf.pt/bitstream/20.500.11796/714/2/SeE12A_ImportanciaTeresa.pdf.>. Acesso em: 12 abr. 2017.

VILARINHO, Maria Emília (2000). Políticas de Educação Pré-Escolar em Portugal (1977/1997). Lisboa: Instituto de Inovação Educacional.

______ (2011). Estado e Terceiro Setor na Construção das Políticas Educativas para a Infância em Portugal: o caso da Educação Pré-Escolar (1995-2010). Tese de Doutoramento em Ciências da Educação, Universidade do Minho, Braga, Portugal.

______ (2012). As políticas de educação pré-escolar em Portugal. In DORNELLES, Leni Vieira & FERNANDES, Natália (Ed.), Perspetivas sociológicas e educacionais em estudos da criança: As marcas das dialogicidades luso-brasileiras (pp. 365-384). Editor Centro de Investigação em Estudos da Criança, Universidade do Minho, Braga. Disponível em: <http://www.ciec-uminho.org/documentos/ebooks/2307/~.>. Acesso em: 03 abr. 2017.

______ (2013). O direito das crianças à Educação pré-escolar pública de qualidade: análise crítica da implementação do modelo de educação e cuidado infantil em Portugal. Revista Pedagógica, v.15 (nº 31), 281-300.

Publicado

2018-04-06

Como Citar

Veiga, R., & Ferreira, M. (2018). ENTRE AS PRÁTICAS PEDAGÓGICAS E AS CULTURAS INFANTIS: CONTRIBUTO PARA A COMPREENSÃO DA PARTICIPAÇÃO DAS CRIANÇAS NUM JARDIM DE INFÂNCIA. Cadernos De Estudos Sociais, 32(2), 1–29. Recuperado de https://periodicos.fundaj.gov.br/CAD/article/view/1695

Edição

Seção

Artigos - Dossiê Temático - Infância, Educação e Sociedade