Sentinelas disfarçadas nas portas das drogas

Autores

  • Charles Fortin Fortin & Associates

DOI:

https://doi.org/10.33148/cetropicov45n1(2021)art1

Resumo

Insidioso aos povos e às frágeis sociedades da América Latina e Caribe (ALC) a produção ilícita de drogas e seu tráfico se constituem em grande ameaça aos Estados Unidos. As deportações dos Estados Unidos exacerbam essa tragédia. Em 1996, o Congresso Americano aprovou uma lei que requer que todos os sentenciados estrangeiros devam ser deportados aos seus países de origem se seus sustentos estiverem envolvidos com o crime organizado. Pela lei, o departamento intitulado Administração da Repressão às Drogas (DEA em inglês) só pode operar nos Estados Unidos e não pode investigar e prender, unilateralmente, traficantes de drogas de alta periculosidade no exterior. Dadas as deficiências de controle na redução da produção de drogas nos países produtores, a Organização dos Estados Americanos (Comissão Interamericana para o Controle do Abuso de Drogas - CICAD) disponibiliza a troca de informações e capacitação para os funcionários no combate às drogas, ALC. Esse artigo busca refletir na eficácia de três dessas iniciativas: controle dos portões de entrada aéreos, interrupção do fluxo de insumos para a produção de drogas e o tráfico via internet.

Palavras-chave: Aplicação da lei contra drogas.Treinamento. Vigilância aos portões de entrada. Produtos químicos precursores. Tráfico de drogas via Internet. Silk Road. Organização dos Estados Americanos (OEA).

Downloads

Não há dados estatísticos.

Downloads

Publicado

2021-07-16

Como Citar

Fortin, C. (2021). Sentinelas disfarçadas nas portas das drogas. Ciência &Amp; Trópico, 45(1). https://doi.org/10.33148/cetropicov45n1(2021)art1

Edição

Seção

ARTIGOS