FATORES SOCIOECONÔMICOS E DEMOGRÁFICOS ASSOCIADOS À EXISTÊNCIA DE MUSEUS EM MUNICÍPIOS BRASILEIROS: UM ESTUDO APLICANDO MODELO DE REGRESSÃO LINEAR

Flora Brochado Maravalhas, Luiz Honorato Silva Júnior

Resumo


O presente estudo pretendeu identificar quais fatores estão associados à existência de museus em municípios brasileiros. Primeiramente, realizou-se breve histórico sobre a criação de museus em território brasileiro, do século XVII até os dias atuais. Em seguida, fazendo uso de regressões lineares com dados secundários de diversas fontes disponíveis, pretendeu-se relacionar a quantidade existente de museus nos municípios brasileiros em 2015 com características observáveis que poderiam estar associadas com o número de museus existentes nessas localidades. Os resultados das regressões lineares demonstraram haver correlação positiva entre tamanho da população municipal, nível de desenvolvimento do município, atividades turísticas e contextos regionais.


Palavras-chave


Política cultural; museus brasileiros; características socioeconômicas e demográficas.

Texto completo:

PDF PARA IMPRESSÃO

Referências


BRASIL. Decreto-Lei n. 25, de 30 de novembro de 1937. Organiza a proteção do patrimônio histórico e artístico nacional. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 1 dez. 1937. Disponível em: . Acesso em: 05 mai. 2017.

______. Lei nº 11.906, de 20 de janeiro de 2009. Cria o Instituto Brasileiro de Museus. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 22 jan. 2009. Disponível em: . Acesso em: 01 fev. 2017.

CONSIDERA, A. F. Museus de História Natural no Brasil (1818-1932): uma revisão bibliográfica. Anais do XXVI Simpósio Nacional de História – ANPUH, São Paulo, julho 2011.

COSTA, L. M. De museologia, arte e políticas de patrimônio. Rio de Janeiro: IPHAN, 2002.

FONSECA, M. C. L. O Patrimônio em processo: trajetória da política federal de preservação no Brasil. Rio de Janeiro: UFRJ/IPHAN, 1997.

HAIR, J. et al. Análise multivariada de dados. Porto Alegre: Bookman, 2005.

INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA (BRASIL). Estimativas populacionais anuais de população para os municípios e para as Unidades da Federação brasileiros. Rio de Janeiro: IBGE, 2017. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2015.

INSTITUTO BRASILEIRO DE MUSEUS (BRASIL). Museus em Números. Brasília: Instituto Brasileiro de Museus, 2011.

______. Cadastro Nacional de Museus. 2015. Disponível em: . Acesso em: 1 out. 2015.

INSTITUTO DO PATRIMÔNIO HISTÓRICO E ARTÍSTICO NACIONAL (BRASIL). Política Nacional de Museus. Brasília: Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional, 2007.

JOHNSON, P; THOMAS, B. The Economics of Museums: A research perspective. Journal of Cultural Economics, v. 22, n. 2/3, Special Issue on the Economics of Museums, p. 75-85, 1998.

JULIÃO, L. Apontamentos sobre a história do museu. Caderno de diretrizes museológicas. Belo Horizonte: Superintendência de Museus da Secretaria de Estado da Cultura, 2006.

LOPES, M. M. A Formação de museus nacionais na América Latina Independente. Anais do Museu Histórico Nacional, v. 30. Rio de Janeiro: Museu Histórico Nacional, 1998. p. 121-133.

_______. O Brasil descobre a pesquisa científica. São Paulo: Hucitec, 2009.

MACHADO, A. M. A. Cultura, ciência e política: olhares sobre a história da criação dos museus no Brasil. Museus: do gabinete de curiosidades à museologia moderna. Belo Horizonte, Argvmentvm, 2010.

MINISTÉRIO DO TURISMO (BRASIL). Programa de Regionalização do Turismo. Brasília: Ministério do Turismo, 2017. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2017.

OLLAIK, L. G. A implementação da Política Nacional de Museus e a democratização de acesso: estudo comparativo de três instrumentos governamentais. 2012. 248p. Tese (Doutorado em Administração) — Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de Brasília, Brasília, 2012.

PROGRAMA DAS NAÇÕES UNIDAS PARA O DESENVOLVIMENTO; INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA; FUNDAÇÃO JOÃO PINHEIRO. Atlas do Desenvolvimento Humano no Brasil. Rio de Janeiro, 2014.

SANTOS, M. S. Os Museus brasileiros e a constituição do imaginário nacional. Soc. estado., Brasília, v.15, n.2, p.271-302, Dec. 2000. Disponível em: . Acesso em: 1 set. 2017.

_______. Museus brasileiros e política cultural. RBCS, São Paulo, v. 19, n. 55, jun., 2004.

SILVA, M. V. T. Do SPHAN ao Ibram: subsídios para compreender a produção documental dos museus do Instituto Brasileiro de Museus. Revista Eletrônica Ventilando Acervos, v. 3, n. 1, p. 60-75, nov., 2015.

TORRES, H. A. Museums of Brazil. Rio de Janeiro: Departamento de Imprensa Nacional, 1953.

TORRES, H. G.; FERREIRA, M. P.; DINI, N. P. Indicadores sociais: por que construir novos indicadores como o IPRS. São Paulo em Perspectiva, São Paulo, v. 17, n. 3-4, p. 80-90, 2003.

WORONKOWICZ et al. Set in stone building America’s new generation of arts facilities, 1994-2008. Final report. Chicago: Cultural Policy Center at the University of Chicago, 2012.

WORONKOWICZ, J. The determinants of cultural building: Identifying the demographic an economic factors associated with cultural facility investment in US metropolitan statistical areas between 1994 and 2008. Cultural Trends, v. 22, n. 3-4, p. 192-202, 2013.




DOI: https://doi.org/10.33148/CES2595-4091v.34n.120191793

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Autor, concedendo à revista o direito de primeira publicação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN:2595-4091

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.