A IMPORTÂNCIA DAS REDES SOCIAIS, DA INTERNET E DAS REDES SOCIAIS ONLINE NA MOBILIDADE DOS ESTUDANTES BRASILEIROS DO ENSINO SUPERIOR PARA PORTUGAL

Juliana Chatti Iorio

Resumo


Este artigo irá decorrer sobre um dos pontos desenvolvidos na minha tese de doutorado, que tem estudado a motivação dos estudantes brasileiros do ensino superior para a escolha de Portugal, na construção dos seus projetos de mobilidade estudantil internacional.

Partindo do princípio de que, (1) as redes sociais que se formam entre migrantes e não migrantes são um importante auxílio para a perpetuação dos sistemas migratórios; (2) na atual Sociedade do Conhecimento, as Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação, com especial atenção para o uso da Internet, passaram a ser fundamentais para a formação e manutenção destas redes; e, (3) a partir da introdução das redes sociais online, sobretudo com a utilização do Facebook, o acesso às redes sociais tornou-se mais fácil; pretendo perceber até que ponto esses três fatores têm contribuído para a migração dos estudantes brasileiros do ensino superior para Portugal.

Os resultados obtidos através das fontes secundárias de informação e do trabalho de campo desenvolvido no âmbito da pesquisa supracitada indicam que, ainda que não se possa generalizar para todos esses estudantes, as redes sociais, fortalecidas pelo uso da Internet e do Facebook, têm tido a sua importância neste tipo de mobilidade.


Palavras-chave


Mobilidade Estudantil Internacional; Brasil; Portugal; Redes Sociais; Novas Tecnologias da Informação e da Comunicação

Texto completo:

PDF PARA IMPRESSÃO

Referências


ALBUQUERQUE, R. de L. S. Associativismo, capital social e mobilidade: contributos para o estudo da participação associativa de descendentes de imigrantes africanos lusófonos em Portugal. 2008. 566f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Universidade Aberta, Lisboa, 2008.

ALTBACH, P. G.; KNIGHT, J. The Internationalization of Higher Education: Motivations and Realities. Journal of Studies in International Education, v. 11, n. 3 - 4, p. 290 - 305, 2007.

AMARAL, I. Redes Sociais na Internet: sociabilidades emergentes. Covilhã: Labcom, 2016.

ARAÚJO, E. R. Why portuguese students go abroad to do their PhDs. Higher Education in Europe, v. 32, n. 4, p. 387–397, 2007.

BECHI, D. Mercantilização do ensino superior: os desafios da universidade diante do atual cenário educacional. Acta Scientiarum. Education, v. 33, n. 1, p. 139–147, 2011.

BRANDI, M C. La historia del brain drain. Revista CTS, v. 3, n. 7, p. 65 - 85, 2006.

BROOKS, R.; WATERS, J. Social networks and educational mobility: the experiences of UK students. Globalisation, Societies and Education, v. 8, n. 1, p. 143–157, 2010.

CASTELLS, M. A era da informação: economia, sociedade e cultura - a sociedade em rede. São Paulo: Paz e Terra, 1999. v. 1.

COGO, D. Internet e redes migratórias transnacionais : narrativas da diáspora sobre o Brasil como país. Interin, v. 4, p. 91 - 104, 2015.

COLLAZOS, W. P. El estudio de caso como recurso metodológico apropiado a la investigación en ciencias sociales. Educación Y Desarrollo Social, v. 3, n. 2, p. 180 - 195, 2009.

DE HAAS, H. The Internal Dynamics of Migration Processes: A Theoretical Inquiry. Journal of Ethnic and Migration Studies, v. 36, n. 10, p. 1587 - 1617, 2010.

DELICADO, A. Cientistas portugueses no estrangeiro: factores de mobilidade e relações de diáspora. Sociologia, Problemas e Práticas, n. 58 p. 109 - 129, 2008.

DESIDÉRIO, E. de J. Migração internacional com fins de estudos: o caso dos africanos do Programa Estudante-Convênio de Graduação em três universidades públicas no Rio de Janeiro. 2006. 220f. Dissertação (Mestrado em Estudos Populacionais e Pesquisas Sociais) - Escola Nacional de Ciências Estatísticas, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, Rio de Janeiro, 2006.

FAIST, T. The crucial mesolevel. In: MARTINELLO, M.; RATH, J. (Eds.) Selected studies in international migration and immigrant incorporation. Amsterdam:, Amsterdam University Press, 2010. p. 59-90.

FONSECA, M. L.; ESTEVES, A.; IORIO, J. C. Mobilidade internacional de estudantes do ensino superior: os alunos universitários brasileiros em Portugal. In: PEIXOTO, J.; PADILLA, B.; MARQUES, J. C.; GÓIS, P. (Ed.). Vagas atlânticas: migrações entre Brasil e Portugal no início do século XXI.. Lisboa: Editora Mundos Sociais, 2015. p. 149–175.

FURUKAWA, T.; SHIRAKAWA, N.; OKUWADA, K. An empirical study of graduate student mobility underpinning research universities. Higher Education, v. 66, n. 1, p. 17–37, 2013.

GIDDENS, A. As consequencias da modernidade. São Paulo: Editora UNESP, 1991.

GLOVER, P. International Students: Linking Education and Travel. Journal of Travel & Tourism Marketing, v. 28, n. 2, p. 180–195, 2011.

GURUZ, K. Higher education and international student mobility in the global knowledge economy. 2. ed. rev. ampl.. New York: Excelsior Editions, 2011.

IORIO, J. C.; FONSECA, M. L. O papel da Internet na constituição de redes sociais transnacionais de sociabilidade e mobilização dos estudantes brasileiros no ensino superior em Portugal. Revista Interin, Curitiba, 2017, v. 22, n. 1, p. 5-22, 2017.

KING, R. Towards a new map of European migration. International Journal of Population Geography, v. 8, n. 2, p. 89–106, 2002.

LI, F. L. N.; FINDLAY, A. M.; JOWETTT, A. J.; SKELDON, R. Migrating to learn and learning to migrate: a study of the experiences and intentions of international student migrants. International Journal of Population Geography, v. 2, p. 51–67, 1996.

MASSEY, D. S. et al. Theories of International Migration : A Review and Appraisal. Population and Development Review, v. 19, n. 3, p. 431–466, 1993.

MAZZA, D. A internacionalização dos processos formativos - a circulação de pessoas, saberes e práticas no campo das Ciências Humanas. In: ENCONTRO ANUAL DA ANPOCS, GT 25 MIGRAÇÕES INTERNACIONAIS, 32., 2008, Caxambu. Anais... Caxambu, MG: ANPOCS, 2008. p. 1–30.

MAZZAROL, T.; SOUTAR, G. N. “Push‐pull” factors influencing international student destination choice. International Journal of Educational Management, v. 16, n. 2, p. 82–90, 2002.

PAPACHARISSI, Z. The Virtual Sphere 2.0: The internet, the public sphere and beyond. In: CHADWICK. A.; HOWARD. P. N. (Eds.), Routledge Handbook of Internet Politics.[E-book] Abingdon, UK; New York, EUA: Routledge, 2009. p. 230-245.

PINHO, F. Transformações na emigração brasileira para Portugal : de profissionais a trabalhadores. 2012. 339f. Tese (Doutorado em Sociologia) - Departamento de Sociologia, Instituto Universitário de Lisboa. Lisboa, 2012.

RIZVI, F. Theorizing student mobility in an era of globalization. Teachers and Teaching: theory and practice, v. 17, n. 6, p. 693–701, 2011.

SALT, J. International Movements of the Highly Skilled. OECD Social, Employment and Migration Working Papers, n. 3, 1997.

SANTOS, M.. G. C. Um contributo para pensar a geografia das migrações e a comunidade brasileira na região centro de Portugal. 2008. 397f. Tese (Doutorado em Geografia) - Faculdade de Letras, Universidade de Coimbra. Coimbra, 2008.

SATURNINO, R. A construção do imaginário social dos imigrantes brasileiros em Portugal nas redes sociais da internet: O caso do orkut. Lisboa: Observatório das Migrações, 2015. v.45

VAN MOL, C.; MICHIELSEN, J. The reconstruction of a social network abroad. An analysis of the interaction patterns of Erasmus students. Mobilities, v. 10, n. 3, p. 423-444, 2015.

VERTOVEC, S. Transnational Networks and Skilled Labour Migration. Inglaterra: Universidade de Oxford, 2002.

VIDEIRA, P. A mobilidade internacional dos cientistas: construções teóricas e respostas políticas. In: ARAÚJO, E.; FONTES, M.; BENTO, S. (Ed.) Para um debate sobre Mobilidade e Fuga de Cérebros. Portugal: Centro de Estudos de Comunicação e Sociedade Universidade do Minho Braga, 2013. p. 138 - 162.




DOI: https://doi.org/10.33148/CES2595-4091v.33n.220181753

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2019 Autor, concedendo à revista o direito de primeira publicação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN:2595-4091

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.