UMA ANÁLISE COMPARATIVA DA SITUAÇÃO SOCIOECONÔMICA ENTRE HOMENS E MULHERES BOLIVIANAS NO MERCADO DE TRABALHO DOS ESTADOS DO MATO GROSSO DO SUL E DE SÃO PAULO

Elaine Meire Vilela, Cláudia Lima Ayer de Noronha

Resumo


O objetivo desse trabalho é responder as seguintes questões: há desigualdade e discriminação entre trabalhadores homens e mulheres de origem boliviana no mercado de trabalho dos estados do Mato Grosso Sul e de São Paulo no que diz respeito ao rendimento salarial? O quanto as bolivianas são discriminadas no mercado de trabalho? Nesse sentido, o quanto gênero é um fator de explicação de tais desigualdades? Esse peso de gênero se altera entre os estados analisados? Para responder as perguntas propostas, usamos uma abordagem quantitativa, por meio da aplicação de modelos estatísticos a partir de microdados oriundos do censo demográfico brasileiro de 2010. Estabelecemos uma subamostra de trabalhadores bolivianos e bolivianas, com faixa etária de 25 a 60 anos de idade. Quanto aos modelos de análise, aplicamos duas técnicas estatísticas: modelo de regressão linear múltipla, para avaliação sobre o efeito do gênero para a determinação dos salários dos imigrantes e Oaxaca- Blinder (Oaxaca, 1973; Jann, 2008), para identificação do peso da discriminação por sexo, entre os indivíduos de origem boliviana, existente nos mercados de trabalho analisados. 


Palavras-chave


Mercado de trabalho, desigualdade social, migração internacional, migração interestadual, estratificação social

Texto completo:

PDF INPRESS

Referências


AGUIAR, N. O. Desigualdades sociais, redes de sociabilidade e participação política. Belo Horizonte: UFMG, 2007.

BAENINGER, R. O. Imigração boliviana no Brasil. Campinas: Núcleo de Estudos de População-Nepo/Unicamp; Fapesp; CNPq; Unfpa, 2012.

BERNARDES, Tereza. et al. Migração na Fronteira do Brasil:Identificação do padrão migratório e do perfil socioeconômico dos imigrantes sul-americanos que se destinam para os municípios brasileiros. Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 20., 2016, Foz do Iguaçu. Anais… Foz do Iguaçu, 2014.

BONASSI, M. Canta, América sem fronteiras! imigrantes latino-americanos no Brasil. São Paulo: Loyola, 2000. Disponível em:

CYMBALISTA, R.; XAVIER, I. R. A comunidade boliviana em São Paulo: definindo padrões de territorialidade. Cadernos Metrópole., n. 17, 2007.

DA COSTA, E. A. Os bolivianos em Corumbá- MS: construção cultural multitemporal e multidimensional na fronteira.Cadernos de estudos culturais, v. 4, 2017.

FREITAS, P. D. T. Imigração boliviana para São Paulo e setor de confecção - Em busca de um paradigma analítico alternativo. In: BAENINGER, R. (Ed.). Imigração Boliviana no Brasil. Campinas: Núcleo de Estudos de Populações/ Unicamp, 2012. p.155-178.

FUSCO, W.; SOUCHAUD, S. De volta para casa: a distribuição dos brasileiros retornados do exterior. Confins, n. 9, p. 1-9, 2010. Disponível em:

GIUBERTI, A. C.; MENEZES-FILHO, N. Discriminação de rendimentos por gênero: uma comparação entre o Brasil e os Estados Unidos. Econonima Aplicada, v. 9, n. 3, p.369-384, 2005. Disponível em:

HASENBALG, C. A. Race, culture, and class in the integration of societies. Dados-Revista De Ciencias Sociais, v. 27, n. 3, p. 395-398, 1984.

JACINTO, P. D. A. Diferenciais de salário por gênero na indústria avícola da Região Sul do Brasil: uma análise com microdados. Revista Econ. Sociol. Rural, Brasília, v. 43, n. 3, p. 529-555, 2005. Disponível em:

JANN, B. A stata implementation of the Blinder-Oaxaca decomposition. The Stata Journal, Zurich, n.8, v. 4, p. 453-479, 2008.

MAKABE, T. Ethnic hegemony: the Japanese Brazilians in agriculture, 1908-1968. Ethnic and Racial Studies, v. 22, n. 4, p. 702-723, jul. 1999.

OAXACA, R. Male-Female wage differentials in urban labor markets. International Economic Review, v. 14, p. 693-709, 1973.

PATARRA, N. L.; FERNANDES, D. Brasil: país de imigração? Revista internacional em língua portuguesa - Migrações, v. 3, n. 24, p. 65-96, 2011.

PAVEI, K. Reflexões sobre o ensino e a formação de professores de Sociologia. Dissertação de Mestrado [116 f.]. Departamento de Educação, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Porto Alegre: o autor, 2008.

PERES, R. G. Mulheres na fronteira : a migração de bolivianos para Corumbá - MS. Tese de Doutorado. Instituto de Filosofia e Ciências Humanas, Universidade Estadual de Campinas. Campinas: UNICAMP, 2009

________. A imigração de bolivianas na fronteira: desafios teórico-metodológicos. In: BAENINGER, R. (Org.). Imigração boliviana no Brasil. Campinas: NEPO, FAPESP, CNPq, Unfpa, 2012. p.271-295.

PERES, R. G.; BAENINGER, R. Mulheres Latino-americanas e Haitianas no Brasil: perfil na imigração internacional. In: Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 20., 2016, Foz do Iguaçu. Anais... Foz do Iguaçu, 2016. Disponível em:

RIBEIRO, C. A. D. C. Estrutura de classe e mobilidade social no Brasil. São Paulo: Edusc, 2007.

ROBERT, E. Mirada global sobre el nexo entre migración, remesas y desarrolo. In: ARAGONÉS, A. M. O. (Cord). Mercado de trabajo y migración internacional. México: UNAM, Instituto de investigaciones económicas, 2011. p.233-252.

SALA, G. A.; CARVALHO, J. A. M. de. A presença de imigrantes de países do Cone Sul no Brasil: medidas e reflexões. Revista Brasileira de Estudos de População, v. 25, n. 2, p. 287 - 304, 2008. Disponível em:

SANTOS, J. A. F. A interação estrutural entre a desigualdade de raça e de gênero no Brasil. RBCS - Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 24, n. 70, p. 37-60, 2009. Disponível em:

SASSEN, S. Dos enclaves en las geografias globales contemporáneas del trabajo. In: ARAGONÉS, A. M. O. (Coord.). Mercado de trabajo y migración internacional. México: UNAM, Instituto de investigaciones económicas., 2011. p.139-194.

SCALON, M. C. Mobilidade social no Brasil: padrões e tendências. Rio de Janeiro: IUPERJ/REVAN, 1999.

SCHUNCK, R.; WINDZIO, M. Self-Employment of Immigrants in Germany: Effects of Social Embeddedness within Neighborhood and Household. Zeitschrift Fur Soziologie, v. 38, n. 2, p. 113-130, 2009.

SILVA, G. A.; CASTRO, R. F. D. Fatores que contribuem para a afirmação do Brasil como um país de imigração: Reflexões à luz da globalização. Encontro Nacional de Estudos Populacionais, 20.,2016, Foz do Iguaçu. Anais.... Foz do Iguaçu 2016.

SILVA, S. A. Bolivianos em São Paulo: entre o sonho e a realidade Estudos Avançados, v. 20, n. 57, p. 157-170, 2006. Disponível em:

SOUCHAUD, S. A imigração boliviana em São Paulo. In: FERREIRA, A. P. E. A. et.al. A experiência migrante: entre deslocamentos e reconstruções. Rio de Janeiro: Garamond, 2010. p.267-290.

___________. A confecção: nicho étnico ou nicho econômico para a imigração latino-americana em São Paulo? In: BAENINGER, R. O. (Org.). Imigração boliviana no Brasil. Campinas: Núcleo de Estudos de População - NEPO; Unicamp; FAPESP; CNPq; Unfpa, 2012. p.75-93.

UEBEL, R. R. G.; RUCKERT, A. A. Aspectos gerais da dinâmica imigratória no Brasil no Século XXI. Confins-Revista franco-brasileira de geografia [on-line], n. 31, 2017. Disponível em:

VILELA, E.; COLLARES, A.; NORONHA, C. Migrações e Trabalho no Brasil: Fatores étnico-nacionais e raciais. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v. 30, n.87, p.19-42, 2015. Disponível em:

VILELA, E. M. Análise dos principais grupos de imigrantes do Sul e do Norte Global com entradas no Brasil entre 2000 e 2016.

______. Alguns determinantes de estratificação dos imigrantes internacionais recentes no mercado de trabalho brasileiro. In: NEVES, J. A.;FERNANDES, D. C., et al. (Org.). Educação, trabalho e desigualdade. Belo Horizonte: Argvmentvn, 2009. p.96-130.

XAVIER, I. R. A inserção socioterritorial de migrantes bolivianos em São Paulo. Uma leitura a partir da relação entre projetos migratórios, determinantes estruturais e espaços da cidade. In: BAENINGER, R. O. (Org.). Imigração boliviana no Brasil. Campinas: Nepo, 2012.

ZANARDI, G. S. A re-introdução da sociologia nas escolas públicas: caminhos e ciladas para o trabalho docente. Dissertação de Mestrado [137 p.]. Departamento de Educação, Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho: Araraquara, 2009.

ZAVALA, E. M.; MORALES, O. W. Participación laboral y autoempleo de las mujeres mexicanas en Phoenix, Arizona. El caso de las estilistas. In: ARAGONÉS, A. M. O. (Org.). Mercado de trajo y migración internacional. México, 2011. p.195-232.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Direitos autorais 2018 Autor, concedendo à revista o direito de primeira publicação

Licença Creative Commons
Esta obra está licenciada sob uma licença Creative Commons Atribuição - Não comercial - Sem derivações 4.0 Internacional.

ISSN:2595-4091

 

Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.