A QUALIDADE DE VIDA E O DESENVOLVIMENTO HUMANO NA REGIÃO DE SUAPE/PE: a vulnerabilidade de comunidades autóctones em meio ao progresso industrial

Diego Costa Mendes, Humberta Karinne da Conceição Silva, Débora Coutinho Paschoal Dourado

Resumo


O presente estudo, de caráter qualitativo, foi conduzido com base no relato de experiências vividas, na região de Suape (Pernambuco), a fim de identificar como se apresenta configurada a qualidade de vida e o desenvolvimento humano da região a partir de um estudo qualitativo básico na Unidade de Desenvolvimento Humano Engenho Ilha, localizada próximo ao Complexo Industrial Portuário Eraldo Gueiros. Procurou-se apreender como estão configuradas as dimensões ligadas ao trabalho e renda, habitação, abastecimento de água, e relação que a comunidade mantêm com a terra e com os empreendimentos próximos, em contraste ao Índice de Vulnerabilidade Social do IPEA. As 15 entrevistas realizadas na região destacaram a importância de abordagens qualitativas a fim de aproximar as análises sociais da complexidade presente em cada realidade. Concluiu-se que o desenvolvimento promovido pelos empreendimentos  no entrono da região vêm provocando exclusão de comunidades autóctones, negligenciando a qualidade de vida desta população.

 

PALAVRAS-CHAVE: Qualidade de vida. Desenvolvimento humano. Vulnerabilidade social.


Texto completo:

PDF


DOI: https://doi.org/10.33148/CeTropico-v.43,n.1(2019)_1826

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Incluir comentário

Direitos autorais 2019 Diego Costa Mendes, Humberta Karinne da Conceição Silva, Débora Coutinho Paschoal Dourado



Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição 4.0 Internacional.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia